domingo, 21 de abril de 2013

Maria Fernandes

Divagando…

Busco no baú das minhas reminiscências
e o que encontro senão mantas, retalhos
cacos, fiapos, prantos, alegrias, dores
amores, tudo pertencendo ao passado
Então o passado não existe, está morto?
Não, ele é a nossa herança, o nosso percurso
desde que nos conhecemos como gente,
a nós está fundido, bem presente na mente
Não possuímos mais nada, a não ser o passado
O presente é o momento, efetivo no agora
vamos vivê-lo com emulação, pois amanhã
pertencerá ao outrora, já passado, já ausente
Ele é o paradigma entre o passado e o futuro
que dele dependerá, deve ser tratado com cuidado
trabalhado com perícia e astúcia, pois dele gizará
todo o nosso advir, o nosso sorrir ou chorar
pelas opções que decidamos no agora
Então por que recusar ser feliz, viver a vida
ponderada, mas sabiamente para mais tarde
não ser tarde demais e já não valer a pena
Mais uma razão para nos chamar à realidade
que nada morre, mas vive connosco para sempre
na nossa mente para o bem ou para o mal
é nosso, ninguém o poderá retirar ou apagar
Vivamos o agora, o presente destramente
O Futuro, a única incógnita que não nos pertence
será o resultado da nossa herança do passado
e do presente, o alicerce que nos catapultará
para a felicidade ou infelicidade, a qual será
de nossa inteira e completa responsabilidade…

“Não deixes para amanhã o que podes fazer hoje”

Nenhum comentário:

Postar um comentário