sexta-feira, 3 de maio de 2013

Margarida Cimbolini

ÁRVORE DE MIM
por Margarida Cimbolini

árvore de mim
raízes secas ao vento
e ao relento
por ti

que fazes a pomba respirar

árvore de mim castanha
louca
morta cepa cortada maltratada
mas não oca

por minhas mãos a reguei
com meus lábios a beijei
esculpi nela mil abraços
do mar trouxe os sargaços
raízes fundas cavei
e chamei

a ti que fazes a pomba respirar

em primavera de Maio para a batizar

árvore de mim resistiu

e a pomba riu !

Nenhum comentário:

Postar um comentário