domingo, 21 de julho de 2013

Carlos Manuel Alves Margarido

Raiz

Cresce o desejo, semeado na escuridão! 
Regado nos dedos, no calor das mãos
O vento leva as asas, voltam, aproxima-te, toca-me… 
Vai entender porque atravessei pontes, caminhei nas estrelas,
Provei o néctar do sol, livre fui pássaro…
O sopro da terra inspirou-me,
Na poeira de muitos séculos de poesia,
Espalhei amor e areia!
Hoje fechei o livro, és única, neste piscar de olhos
Que cresce na escuridão! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário