terça-feira, 11 de junho de 2013

Rô Mar

Homenagem ao Poeta Luís Vaz de Camões

Ó Poeta… quantas lágrimas de sal 
Derramadas por mares nunca antes navegados,
Consolidaram-se venturas e desventuras 
Na tua alma de génio, à descoberta de novos mundos.

Dom de coração apertado e largo ao Universo,
Que se fez ao mar em rima e verso,
Glória na epopeia segredada às levianas
E tempestuosas ondas se fizeram luz à literatura.

Se fez glória e jus à tua Pátria,
Pelos caminhos espinhosos se soltou a palavra,
No teu som Platónio, vibrou a mais bela melodia
E, aconteceu o imortal soneto, a arte da poesia.

Tua língua mátria louvaste,
Pelo tanto que a amaste,
E, hoje e sempre serás o Poeta de Portugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário