quarta-feira, 20 de março de 2013

Valdecir Anselmo

A fé de um poeta

O poeta é um anjo pertinaz
Que teima em voar
Com sua poesia
E fazer das fagulhas
Do arfar de uma estrela
Suas asas alipotentes
Poetas são anjos persistentes
Flores olentes
Perfumes recendentes
Um poeta erige montanhas
Em ingentes façanhas
Ele audaz se mostra
O poeta é um arcanjo
E mundos cria
Que consegue na algaravia
Se ensimesmar
Que voa nos ares
Que nada nos mares
Em todos os elementos
Se imiscuindo
Sem a sua essência perder
Sem esfacelar-se e morrer
Pois fenecer
Para ele opção não é
Essa a sua fé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário